domingo, 18 de março de 2012

Novo Endereço:

Estamos em novo endereço: www.blogdodanielmotta.com.br

segunda-feira, 12 de março de 2012

Fantasmas

Há que se estar muito atento aos nossos fantasmas. Eles se agregam às esperanças. Não podemos deixar que nossos fantasmas nos acalentem aos sonhos.

Muitas vezes eles encostam em nosso sono e depois quando despertamos é que temos a noção do pesadelo.

Sonhar é ótimo, de preferência estando acordados. Assim podemos trabalhar buscando alcançar o sonho. Isso tudo é indispensável para mantermos as expectativas sob premissas viáveis.

Dizer adeus aos nossos fantasmas é saudável, colega.

Muitas vezes chega esse momento ao nosso tempo e nem nos apercebemos. Iludidos, reagimos sem autonomia, como dependentes dessas premissas fantasmagóricas com as quais, constataremos um dia, nos enganaram.

Remove-los, eu sei, não é fácil assim. Muitas vezes estamos tão mal acostumados com nossos fantasmas que até nos parecem gentes boas.

O que te resta agora é remove-los de sua vida. Retomar a esperança, resgatar aqueles princípios sadios, retocar os sonhos e seguir em frente.

sábado, 10 de março de 2012

Roseana Sarney não deve sancionar o Projeto de Lei que cria a quinta Câmara Cível no TJ/MA

Eu avisei e ninguém me escutou. A Governadora Roseana Sarney, não deve sancionar o Projeto de Lei que cria a quinta Câmara Cível no Tribunal de Justiça do Maranhão. A governadora alega foro pessoal, para a decisão.

Quem tem esperanças de ocupar uma vaga de Desembargador pelo Quinto Constitucional, pode parar de ninar com esta vaga.

É simples: Basta entender de matemática. Atualmente são vinte e quatro Desembargadores, dos quais cinco são pelo Quinto Constitucional (OAB e MP). Instaladas as três vagas e cedida uma ao Quinto Constitucional, passariam a seis.

As contas não bateriam. Vinte e sete Desembargadores, sendo seis vagas do Quinto. O Quinto não seria mais quinto. Seria "Quarto e meio constitucional".

Para seis vagas do Quinto, o Tribunal deveria ter no mínimo trinta Desembargadores.

Essa matemática simples já chegou ao conhecimento do Des. Guerreiro Júnior. Essas três vagas são da magistratura.

Outros estados na mesma situação - CE, PA, PE, SC - segundo se tem noticias implatou as vagas somente para a magistratura. Depois veio a contemporização, criaram-se outras vagas e, nesse caso, se completou o quinto constitucional.

Dentro do Tribunal de Justiça, vários Desembargadores entendem do mesmo jeito. Anotem aí: Essa vaga não vai para o Quinto.

Falhas

Quando destruímos um relacionamento, sentimos não só que um plano deu errado, mas que falhamos como pessoa.

Eu aqui em silêncio, concentrado, me culpando por ter falhado como pessoa e o pássaro bicando a janela de vidro do meu quarto me interrompendo, como se me pedisse para abrir a janela e deixar que venha até aqui.

Estava pensando no carinho e respeito. São sentimentos indispensáveis para o amor. O mundo por estas bandas anda meio assim, em carências de afetividades.

Carinho e respeito são os oxigênios da brasa que mantém o amor aceso e a esperança revigorada. Com eles, você reconstrói tudo. 

Não podemos deixar que a esperança escapula, não perdê-la de vista. Mas não podemos confundi-la com o verde de algum gafanhoto. Isso tudo é indispensável para mantermos as expectativas sob premissas viáveis.

Desiludir-se, eu sei, não é fácil assim. O que nos resta é retomar a esperança, resgatar aqueles princípios sadios e retocar os sonhos.

Mas o sentimento de ter falhado como pessoa, esse sim, não tem como retocar.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Sonhador

O sonhador, é aquele que se embebeda com tantas idéias e não sossega, sonhando acordado, lutando sempre. 

O sonhador pode até, aos olhos de alguns, mostrar-se em atitudes desafinadas. Não importa, ele é diferente, luta por um sonho diferente. O que não pode é se desviar, não pode é tirar do foco o seu sonho.

Ninguém se interessará pelos sonhos do sonhador se os sonhos, por mais fantásticos que pareçam, não contiverem um mínimo de lógica.

terça-feira, 6 de março de 2012

O amanhã

O mundo por estas bandas anda meio assim, em carências de afetividades e de bom humor, entretido com outras e outras preocupações, um tanto desligado das coisas do amor.

As nossas vontades humanas não estão conseguindo segurar essa pauta em que a esperança tenha de ficar ainda por mais tempo em concentração de esperas.

Como tudo na vida, as coisas se fazem com começo, meio e fim. As coisas boas têm fim, as coisas ruins têm fim. A vida, enfim, com tudo de bom e de ruim, tem fim. Só o amor, porque vem antes da vida e transcende à vida, não acaba, não pode ter fim.

O amor é rico na fé, generoso na dificuldade, corajoso na esperança. É perseverante, seguro e determinado.

O amor consciente não recua. O amor abrasado não está para brincadeira, queima mesmo. O amor plural se concilia em cada diversidade.

O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso. O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta e espera o amanhã.

O amanhã só conhece um calendário, o da esperança. Está sempre por vir. Ver o dia amanhecendo, se espraiando em luzes, inventando cores, enseja festejos.

Para quem sabe o valor de um único dia, a irreversibilidade de cada um dos seus minutos, as punhaladas dos ponteiros dos relógios a cada hora, um dia apenas, amiga, amigo, até que pode render o bastante.

Em um dia apenas é possível acender ternuras que andam esmorecidas, afirmar com um poema a certeza do amor, despertar com uma canção a alegria nos tristes, revigorar com uma prece a força da fé.

Parece que na chegada do amanhecer, alguém quer deixar cair a esperança pregada na bandeira que carregava.

Ainda há tempo hoje para se começar o amanhã neste instante.

Vamos viver o amanhã?!

Filtro

A enxurrada de recursos que chega diariamente ao STJ pode estar com os dias contados. Os ministros aprovaram, nesta segunda-feira (5), um anteprojeto de lei que barra a subida de processos pouco significantes para a corte.

A intenção é ter o mesmo modelo usado pelo STF desde 2007, que resultou em uma queda de 76% no número de processos da Suprema Corte.O texto aprovado pelo STJ segue agora para o Executivo, que deverá encaminhar a proposta para o Congresso Nacional.

Para que a mudança entre em vigor, são necessárias duas intervenções do Congresso Nacional – uma emenda à Constituição permitindo que o STJ tenha esse filtro, e uma lei para estabelecer quais serão os critérios de pré-seleção.

A proposta de levar o filtro para o STJ é contemporânea ao movimento pró-repercussão geral no STF, mas os parlamentares optaram por contemplar apenas a Suprema Corte com a Reforma do Judiciário de 2004.

Por mais que trabalhe, o STJ está sempre em débito com a sociedade: em 2011, foram analisados 317,1 mil processos, mas a corte terminou o ano com um estoque de 235.466 casos para julgar.