quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Corrientes - Edson Vidigal


Olhando de cima, que nem eu daqui, a avenida só agora lembra um rio em correnteza de enchente desfilando suas coisas, um galho de arvore enganchado bem ali, um bicho morto boiando acolá.

Na correnteza do rio, entre uma margem e a outra, o caudal veloz no meio, tudo parece se inserir na paisagem somando uma coerência quase rítmica.

As balsas de talos de buriti chegam às beiras de rio do seu destino e ali, conclusas as obrigações, são desfeitas. O mestre balseiro aproveita para vender no varejo os talos, que são de mil e uma utilidades, servindo para atiçarem as imaginações criadoras das crianças, utilíssima matéria prima para o artesanato.

Um pouco antes da chegada do sol, a avenida amanhece os cansaços das vésperas – crianças tenras ainda dormem nas calçadas entre cães e mendigos, que daqui a pouco se espalharão pelas esquinas, crianças nos colos, mãos de mães estendidas.

Tudo agora se conforma e se basta na calçada ainda quase noturna entre a promiscuidade dos leitos improvisados nas caixas de papelão e a indiferença dos entes que se cruzam e passam.

Nas esquinas, olhando os jarros vazios dependurados nos quiosques não se vê a hora da chegada das flores.

Uma mulher de olheiras fundas, a maquilagem se derretendo que nem a madrugada se esfiapando nestes prenúncios de dia, nesse calor que faz nesta manhã bem cedo, uma mulher gordona e alta parecendo mal se agüentar nos saltos altos, esbafora a fumaça do seu cigarro e atira um sorriso que é solidão pura.

Adiante, em passos lentos, um velho e o seu cachorro dominam a paz da calçada inteira do quarteirão. Há um descompasso entre o homem e o bicho, o velho denota cansaço e o cão tristeza.

Nada dói mais na consciência política que uma criança triste, crianças sem afeto, crianças ignoradas, crianças famintas e tristes. De novo o alerta, já passa da hora dessa meninada começar a contar com a gente!

Uma força celeste está apenando as mulheres que fumam e elas se olham no espelho e nem percebem o quanto estão ficando feias.

Saio contando na avenida quantos homens e quantas mulheres caminham fumando, e elas são maioria.

Essas mulheres não têm noção do quanto estão ficando feias, não fazem idéia do quanto, a voz grossa de homem, o rosto pelancando, restarão horrorosas.

O dia chegando descerra as portas das cafeterias e esparrama as cores nas bancas de revistas, escancara as vitrinas das boutiques, são muito engraçadas as três manequins com roupas para o réveillon, as três de óculos escuros, o mesmo tipo de óculos.

As buzinas dos automóveis, o barulho dos motores dos ônibus, mais as ensurdecedoras palavras de ordem de mais um movimento reivindicatório que intenta e consegue obstruir o transito na avenida, isso tudo vai servindo de labaredas para a queimação do que ainda vai restar como dia, deste ultima dia de mais um do ano.

A rua que cruza a avenida fazendo a próxima esquina chama-se Tenente General Juan Domingo Perón. Sempre que venho por aqui reservo horas para observações e estudos querendo compreender essas correntes que aprisionam um Povo tão intensamente ao passado.

É véspera de Ano Novo!

Vamos orar pedindo a Deus para que não nos percamos na falta de esperanças e para que as esperanças nos inspirem nestas lutas do presente em direção a um futuro bem próximo, mais animado, mais confiante e bem melhor.

Feliz Ano Novo!

Feliz 2010

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

A Assíduidade dos nossos parlamentares federais


Os dados são da própria Mesa-Diretora da Câmara. Das 341 sessões deliberativas que houve no ano de 2009.



Pedro Fernandes (PTB) —> 99,4%
Bene Camacho (PTB) –> 95,7%
Cleber Verde (PRB) –> 92,4%
Pedro Novais (PMDB) –> 90,0%
Davi Alves Silva (PR) –> 88,6%
Flávio Dino (PCdoB) –> 88,3%
Professor Sétimo Waquim (PMDB) –> 87,7%
Julião Amim (PDT) –> 87,4%
Carlos Brandão (PSDB) –> 85,9%
Pinto Itamaraty (PSDB) –> 84,5%
Domingos Dutra (PT) –> 83,3%
Clóvis Fecury (DEM) –> 79,1%
Sarney Filho (PV) –> 78,9%
Ribamar Alves (PSB) –> 72,1%
Roberto Rocha (PSDB) –> 71,8%
Washington Luiz (PT) –> 69,6%
Zé Vieira (PP) —> 47%
Nice Lobão (DEM) –> 43,1%.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Guerreiro Jr. determina volta de prefeito de Serrano ao cargo

O desembargador Antonio Guerreiro Júnior concedeu liminar em mandado de segurança, nesta terça-feira, 29, em que determina o retorno imediato de Leocádio Olímpio Rodrigues à prefeitura de Serrano do Maranhão, até que o julgamento final da ação civil pública por improbidade administrativa nº 034/2009, em trâmite na comarca de Cururupu.

A ação de improbidade administrativa examina o mérito de ação ajuizada contra o gestor, pelo Ministério Público, por suposta responsabilidade no desvio de verbas de convênios.

Leocádio Olímpio Rodrigues foi afastado da prefeitura de Serrano por decisão liminar da Justiça, e substituído pelo vice, Vagno Pereira, o Banga. O afastamento, a título de temporaneidade, arrasta-se desde 9 de abril de 2009 – por nove meses, portanto.

Nesse período, o prefeito sacado do cargo ingressou com dois pedidos de liminar (em 30 de julho e 29 de setembro), ambos não-apreciados pela juíza da comarca de Cururupu.

Medida desarrazoada

Em sua decisão como magistrado plantonista de 2º grau, o desembargador observa que a medida tomada pela juíza parece desarrazoada, sobretudo por se mostrar desproporcional para os fins do processo de ação civil pública de improbidade administrativa.

“O afastamento do agente político em tais situações se dá tão somente como garantia da instrução processual, motivo este que não mais subsiste”, assegura.

Guerreiro Júnior vê grande risco político, social e econômico caso o prefeito permaneça fora do cargo.

Ainda na decisão, o desembargador questiona a competência de magistrado de 1º grau para afastar um gestor municipal por improbidade administrativa. Tal competência, entende, é exclusiva do Tribunal de Justiça do Estado.

“Vislumbro grave celeuma na incidência da Lei de Improbidade Administrativa aos agentes políticos, isto em sede de precedentes do STF, STJ e do TJMA, fruto, notadamente, da doutrina abalizada”, anota Guerreiro Júnior.

Com a decisão, Leocádio Rodrigues deve retornar imediatamente ao exercício do mandato.

Fonte: Tribunal de Justiça

Lula prevê situação confortável para economia brasileira em 2010


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva previu para o último ano de seus dois mandatos uma situação econômica confortável, mas não quis arriscar um índice de crescimento. Citou, no entanto, previsões de analistas que variam entre 5% e 6% cento de avanço da economia em 2010. "Eu penso que nós vamos entrar em 2010 numa situação confortável", afirmou Lula no programa de rádio "Café com o Presidente", veiculado todas as segundas-feiras.

Além de fatores internos como investimentos em programas como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e o Minha Casa, Minha Vida, a previsão se deve ao bom desempenho esperado para a economia mundial no ano que vem, que vai possibilitar que haja um crescimento das exportações brasileiras, segundo o presidente.

"Eu acho que a economia do mundo começa a se recuperar, mesmo que lentamente, e isso vai possibilitar que haja um crescimento das exportações brasileiras... Eu penso que isso vai fazer que 2010 seja um ano altamente positivo para o Brasil. Tem gente que fala que a economia vai crescer 6%, tem gente, que vai crescer 5%, tem gente que fala que vai crescer 5,5%, eu não quero dizer nenhum número", afirmou.

Mesmo sem arriscar estimativas de crescimento, Lula garantiu que ela irá aumentar o suficiente para gerar empregos, aumentar os salários, melhorar a vida da população e para que os "empresários ganhem mais dinheiro" no sentido de que a "roda gigante da economia" continue girando.

O mais recente relatório Focus, divulgado pelo Banco Central, projetou uma queda do PIB (Produto Interno Bruto) em 2009 de 0,22%. O prognóstico para 2010 aponta crescimento de 5,08%.

Ele voltou a afirmar que o impacto da crise financeira global em 2009 foi menos intenso no Brasil do que nos países desenvolvidos. "A crise chegou por último aqui e terminou primeiro", disse, diagnosticando 2009, do ponto de vista econômico, como "mais do que bom".

"Nós estamos trabalhando com a certeza absoluta que 2009 foi um ano em que o Brasil mostrou competência, mostrou firmeza, ousadia e mostrou que a gente tem uma preparação macroeconômica vigorosa e que portanto nós preparamos o Brasil bem para 2010", disse.

Lula admitiu que o Brasil teve um "problema" no último trimestre de 2008 por conta da crise financeira global "muito mais por pânico, muito mais por medo, houve uma brecada muito forte na economia, desnecessária na minha opinião", em nova crítica à postura dos empresários naquele momento.

Se dizendo mais otimista que qualquer brasileiro, o presidente Lula disse que "o Brasil não vai parar mais, o Brasil daqui pra frente vai continuar crescendo, porque nós queremos nos próximos anos nos transformar quem sabe na sexta, na quinta, na quarta economia do mundo".

(Folha Online)

domingo, 27 de dezembro de 2009

Indicação melhores do Ano

Está rolando no Blog do amigo John Cutrim, enquete dos melhores do ano em várias categorias, e que este Blog além de já ter votado, fará indicações aos leitores.
Acesse lá e vote : http://www.jornalpequeno.com.br/Blog/JohnCutrim/


* Melhores de 2009 - Categoria Jornalista

Indicação:

Marco D’Eça (O Estado do Maranhão) - um jornalista imparcial e que mesmo com toda sua bagagem, escuta seus leitores. Por várias vezes criticou membros do Governo Roseana, é um homem de caráter e sério.





* Melhores de 2009 - Categoria Deputado Estadual

Indicação:

Marcelo Tavares - Mostrou ser um homem sério, não deixando seu ideal político influenciar em decisões de caráter técnico. Um exemplo foi a diplomação da Governadora Roseana Sarney, onde de imediato cumpriu a decisão do TSE em diplomar a Roseana, mesmo recebendo duras críticas.




* Melhores de 2009 - Categoria Deputado Federal

Indicação:

Flávio Dino - Trocou uma sólida carreira na magistratura pela política, é um homem sério que tem honrado seu mandato e os votos de seus eleitores.




* Melhores de 2009 - Categoria Prefeito

Indicação:

Luís Fernando - Esta foi a categoria que tive mais orgulho em votar. Explico: Os resultados falam por si só. É um homem sério, correto, um espelho a ser seguido por qualquer Gestor. Outro dia mesmo, na casa do amigo Weverton Rocha fiz consignar tal comentário e fui apoiado por 100 % dos presentes. Que Deus um dia faça que um homem como este venha a ser Governador de nosso Estado para o bem da nossa população.




* Melhores de 2009 - Categoria Vereador

Indicação:

Ivaldo Rodrigues - Tem honrado seu mandato e os seus votos. Um dos poucos que vejo na mídia lutando pela a população ludovicense.




* Melhores de 2009 - Categoria Apresentador de Rádio AM

Indicação:

Geraldo Castro(Mirante) - Outro Jornalista sério e imparcial, que por várias vezes - quando tem coisa errada - fez críticas a membros do Governo Roseana.





Ainda tem outras categorias, mas este Blog se absteve de votar.

Vamos lá, acesse e vote, fica aqui as sugestões.

http://www.jornalpequeno.com.br/Blog/JohnCutrim/

O homem continua trabalhando


Luis Fernando autoriza pavimentação de ruas do Tijupá Queimado

O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva (DEM), assinou ordem de serviço autorizando o início das obras de pavimentação e urbanização de ruas do bairro Tijupá Queimado.

O serviço, que teve início no mesmo dia, consiste no asfaltamento e urbanização (meio-fio, sarjeta, galerias de drenagem das águas pluviais e sistema de iluminação pública) de um trecho de aproximadamente dois quilômetros compreendendo as ruas Nossa Senhora das Graças, Nova 01 e São Raimundo, três das principais vias do bairro.


Fica aqui um exemplo a ser seguido por todos gestores

Luto: Helicóptero é encontrado sem sobreviventes


O comando da Aeronáutica informou na manhã deste domingo (27) terem sido encontrados os destroços do helicóptero Robinson R-44 desaparecido desde o último dia 23. Foram achados em Carolina (MA), próximo ao balenário Pedra Caída, na divisa entre o Maranhão e Tocantins, por um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB).

Os corpos do piloto Endel Gabriel e do copiloto Aloysio Teixeira estavam carbonizados. Um lavrador contou ao grupo de resgate ter visto a aeronave com problema. Em seguida ouviu o barulho de uma explosão.

Os corpos foram levados para Imperatriz para o reconhecimento dos familiares. Endel deve ser enterrado em Santa Catarina, sua cidade natal. O helicóptero teria batido em um morro. Possivelmente voava baixo por causa do mau tempo na região. A aeronave, que pertencia ao empresário conhecido por Fernandão, da construtora Edeconsil, não tinha seguro.

O helicóptero, matrícula PR-XXC, seguia de São Paulo e tinha como destino final São Luís (MA). O último contato com o controle de tráfego aéreo aconteceu às 14h28 do dia 23 de dezembro. Segundo a Aeronáutica, este contato aconteceu logo após a decolagem de Carolina com destino à fazenda Eldorado, em Igarapé do Meio (MA), penúltima parada antes da chegada à capital.

A investigação das possíveis causas do acidente será conduzida pelo Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

sábado, 26 de dezembro de 2009

Falou Autoridade

Do Blog Edson Vidigal


Quem passasse por perto da Toyota-Hylux, ali estacionada em frente ao Cocktail-Club, em Maceió, Alagoas, ouvindo os palavrões, parando um pouco, dava para ver um cara lá dentro batendo numa mulher.

Daí a pouco foi juntando gente, chamaram a Polícia, apareceu uma equipe de televisão, a confusão se encorpou quando um policial mandou que o cara saísse do carro e ele disse que não sairia.

À voz de prisão, reagiu com o clássico – sabes com quem estás falando? O cara era Juiz. Era não, ainda o é Juiz de Direito em São Miguel dos Campos. A mulher que apanhava, e que saiu ensangüentada de dentro do carro, é Cláudia, sua namorada.

Os dois foram levados à Presidente do Tribunal de Justiça, a Desembargadora Elizabeth, a quem prestaram depoimentos e foram embora.

- Se estou embriagado, não é da conta de ninguém. Protestou a autoridade judiciária.

O Maranhão que há anos disputa com Alagoas o primeiro lugar em tudo que não presta, perde agora nesse ranking envolvendo Juiz, mais uma.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Filha do deputado Paulo Neto morre aos 19 anos

Morreu por volta das 20h30 desta sexta-feira, de parada cardiorrespiratória, a filha única do deputado Paulo Neto (PHS) e da prefeita de Mata Roma, Carmem Neto (PSB). Magylla Rosa Almeida Neto tinha apenas 19 anos, era estudante de Direito da UNDB - nossa colega - e sofria de diabetes. Ela tomava insulina desde pequena.

Magylla foi encontrada pelo pai que desconfiou da demora dela em sair do quarto. Como a porta estava trancada, Paulo Neto decidiu entrar pelo jardim de inverno, onde encontrou a estudante desacordada.

Ela foi levada ao hospital Antonio Pontes de Aguiar, em Chapadinha, onde os três médicos tentaram todos os recursos para reanimá-la, sem sucesso. Não se sabe ao certo o que levou a estudante ao quadro clínico que resultou em seu falecimento. “A dor é muito forte”, disse o deputado a amigos e familiares que o acompanham no hospital.

Muitos políticos da região estão neste momento no hospital tentando confortar Paulo e Carmem Neto

Aeronáutica procura helicóptero desaparecido



A Aeronáutica de Mato Grosso do Sul e a Polícia do Maranhão procuram um helicóptero que está desaparecido desde o fim da tarde de quarta-feira (23) na região Centro Sul do Maranhão. A notícia foi divulgada no início da tarde de hoje (25) pelo Grupo Tático Aéreo da Polícia do Maranhão.

O helicóptero saiu do Campo de Marte em São Paulo no dia 20 deste mês, com dois pilotos a bordo que iriam deixar a aeronave para o novo comprador, um empresário maranhense. O helicóptero é um modelo Robson 44. O último contato dos pilotos foi quando eles estavam decolando da cidade de Carolina. Eles contaram que fariam um pouso na fazenda Nelore, na cidade de Buriticupu, onde reabasteceriam a Aeronave, dormiriam por lá , ontem (24), viriam para São Luís.

Mas, na tarde de ontem, o empresário maranhense - que comprou o helicóptero ligou para a polícia dizendo que a aeronave não tinha pousado em São Luís. Os pilotos foram identificados como:

Meu amigo Endel Gabriel(foto) e Aluísio Teixeira Barbosa.

Diretor do IBGE/MA recebe condecoração da Marinha Brasileira


NA FOTO ACIMA REPRESENTANTES DA MARINHA BRASILEIRA, E SÉRGIO MOTTA( DE TERNO PRETO E GRAVATA VERMELHA, AO CENTRO)



O Chefe em Exercício do IBGE/MA, Sérgio Motta, recebeu este ano, condecoração da Marinha Brasileira - Medalha Mérito Tamandaré.

A medalha Mérito de Tamandaré foi criada em 1957 e é destinada a agraciar as autoridades, instituições e personalidades civis e militares, brasileiras ou estrangeiras, que tenham prestado relevantes serviços na divulgação ou fortalecimento das tradições da Marinha.

Mordidinha


Em Maceió, Alagoas, um Vereador ficou sem a metade da orelha.

Isso não teria muita importancia se essa impossibilidade de ele algum dia ao menos sonhar em usar brinco naquela orelha náo resultasse de dentadas de outro Vereador.


O presidente da Câmara de Maceió, Dudu Holanda (PMN), e o primeiro-secretário, Paulo Corintho (PDT), se agrediram fisicamente na madrugada desta sexta-feira durante o "natal dos ricos", festa tradicional que reúne as famílias mais ricas de Alagoas.


Segundo informações da polícia local, os políticos trocaram murros e tapas e o presidente da Câmara chegou a arrancar, com uma mordida, parte da orelha do primeiro secretário.

Que horror!

Pronto, o Maranhão que vem há anos disputando com Alagoas o primeiro lugar em tudo que não presta, agora fica devendo esta.

Gastão diz que a década de 90 foi 'década perdida' para o Maranhão


Um estudo publicado na semana passada pelo Governo do Estado, e assinado pelo secretário do Planejamento e Orçamento, Gastão Dias Vieira, revela que “a verdadeira década perdida para o Maranhão foi a década de 1990”, durante a qual a economia maranhense mostrou “escasso ou nenhum dinamismo da melhora no cenário macroeconômico nacional pós-Plano Real”.

A publicação, intitulada “Indicadores de Conjuntura Econômica do Maranhão”, mostra que nos anos 1990 – que corresponde ao primeiro período e metade do segundo mandato do governo de Roseana Sarney – a economia maranhense sofreu grande retrocesso. Garante que a taxa de crescimento do Estado “encolheu para 1,4% ao ano, menos da metade da taxa de expansão da região Nordeste (3,6% a.a.) e inferior à já medíocre taxa de expansão do país (2,1% a.a.).

A conclusão de que a economia do Maranhão estagnou na década de 90 é feita tanto pelo secretário Gastão Vieira quanto pelos técnicos da Secretaria de Planejamento e Orçamento e do Imesc (Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos).

De acordo com a análise publicada pela Seplan, após a maturação do ciclo de investimentos trazidos na década de 1980 com a instalação do complexo metalúrgico-logístico Vale-Carajás e Alumar, a década de 1990, no quesito desenvolvimento do estado, é considerada perdida. É o que constata estudo “Indicadores de Conjuntura Econômica do Maranhão”, divulgado na semana passada pelo governo do Estado.

Escasso dinamismo - Segundo o estudo, na década de 90, a economia maranhense não acompanhou o crescimento nacional. Pelo contrário, mostrou “escasso ou nenhum dinamismo da melhora no cenário macroeconômico pós-Plano Real (1994 a 1999)”. A publicação deixa claro que, para o Maranhão, a década de 1990 constituiu “a verdadeira década perdida do ponto de vista do desempenho econômico”, quando a taxa de crescimento global encolheu para 1,4% ao ano, menos da metade da taxa de expansão da região Nordeste (3,6%).

E mais: inferior a já medíocre taxa de expansão do país (2,1% ). Nos anos 80, reflexo dos investimentos no Maranhão, o crescimento da atividade econômica comemorava 8,3% anual, valor superior ao do Nordeste (3,3%) e ao índice nacional (2,3%).

A produção industrial no Maranhão, uma vez esgotado o impulso da instalação dos projetos da água de mineração e não ferrosos evoluiu a 2,1% ao ano, um padrão de estagnação, cujos carros-chefe foram os setores de serviços industriais de utilidade pública (água e energia elétrica: 4,2%) e construção civil (3,2%). A indústria de transformação evoluiu durante a década de 90 à taxa de 1,5% ao ano, menos da metade do indicador na década de 80.

Outro indicador de retração foi a diminuição dos investimentos da administração pública (governo e prefeituras). A taxa anual saiu de 9,7% na década de 80 para 1,3% nos anos 90, representando retração de 8,4%. A privatização do Banco Estadual do Maranhão (BEM) e consequente contração do acesso ao crédito público contribuiu com este cenário.

De acordo com o Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), o aprofundamento da crise fiscal na esfera nacional também teve forte parcela de contribuição na freada econômica verificada no Maranhão nos anos 1990, já que o estado dependia (e ainda depende) financeiramente de repasses da União.

Com informações: JP On Line

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

A caminho da Missa do Galo, Papa cai



Uma mulher saltou a barreira de proteção e tentou atacar o Papa Bento XVI quando este se dirigia para iniciar a celebração da Missa do Galo, no Vaticano, na noite desta quinta-feira (24) véspera de Natal. Segundo o reverendo Ciro Benedettini, porta-voz do Vaticano, o Papa caiu rapidamente, mas foi auxiliado e se levantou logo em seguida.

Bento XVI não teve ferimentos sérios e continuou a celebração após o susto. A identidade da pessoa que causou o incidente não foi revelada.


De acordo com o mesmo representante, a mulher que empurrou o pontífice parecia ter problemas mentais e foi presa pela polícia do Vaticano. O cardeal Roger Echegaray também caiu e foi levado a um hospital para exame.

No ano passado, uma mulher furou as barreiras de segurança após a Missa do Galo, mas foi detida antes de conseguir chegar ao papa. Não está claro se a pessoa é a mesma do incidente deste ano.

Eu acho que o Papa perdeu uma ótima oportunidade de mostrar que é um homem de Deus - não que ele não seja - mas tenho certeza que se este fato tivesse ocorrido com Jesus Cristo, ele jamais deixaria esta moça ser presa. Afinal ela apenas pulou em cima dele sem arma nenhuma, acredito que no intuito de apenas abraçar o homem que "representa" a Fé Católica. E outra, Jesus Cristo também não andaria cercado de seguranças.

Registre-se:

Sou Católico.

Só estou cansado de viver em um mundo demagogo. Chega!

Presentes - Edson Vidigal


Não entendia porque os reis eram magos. Olhava suas figuras nem tão esguias e sem saber o que significava ser mago, imaginava um erro de grafia que tivesse, talvez, se consolidado.

Alguma lógica tentava dizer que os reis eram magos porque, em algum momento, tivessem emagrecido. Uma viagem longa pelo deserto em cima daqueles camelos vagarosos poderia resultar nisso, em grande perda de peso.

E daí terem chegado bem magos diante do menino Jesus.

Havia ainda a estória da estrela enorme, mais brilhante que as outras, através da qual os reis se guiaram até que chegaram àquele lugar ao qual nenhum dos asseclas de Herodes jamais chegou.

Manjedoura no interior do nordeste é o equivalente a cocho, um tronco de madeira escavado como se fosse para ser uma pequena canoa, que pode ser apoiado sobre um jirau na altura alcançável pela fome dos animais.

O presépio exibe o menino na manjedoura rodeado dos bichos disponíveis na hora da montagem, ou restantes de algum outro natal do passado.

Jumento, carneiro, galinha, vaca, todo bichinho é bem vindo ao presépio.

Isso tudo enfatiza uma simbologia que marca a identidade do Messias com as origens humildes.

Ou seja, aquele que ao nascer já era temido pelos déspotas como Herodes porque um dia ele seria também um Rei, mas um Rei do bem, um Rei que trazia desde o nascedouro não só a identidade, mas o compromisso com todos os nascidos que nem ele.

Tudo do nome dele estava associado à esperança, à redenção. O povo hebreu escravizado não suportava mais aquela asfixia da falta de liberdade.

Os dominadores usurpavam o poder do Povo e submetiam aquele mesmo Povo aos caprichos de suas vontades, que nem no Maranhão há mais de quatro décadas.

Por isso que quando correu quase que na velocidade da luz a notícia de que ele o de há muito esperado havia nascido, os reis magos enxergaram na estrela maior a bussola que os levou àquela estribaria. E aqui outra simbologia. Rodeado pelos bichos, deitado na manjedoura, exalando a alegria pura dos inocentes, o futuro Messias recebeu como primeiras visitas os Reis Magos que perante ele se ajoelharam em preces e bem aventuranças, em aleluias e alvíssaras, e presentes.

Ou seja, aquele menino nascido na humildade, na pobreza mais íngreme, teve a assisti-los em suas primeiras horas homens poderosos, Reis que diante dele se ajoelharam em honra e gloria do seu futuro.

Não há uma certeza de quantos Reis integraram, efetivamente, aquela expedição.

Mateus, em sua reportagem, fala em três presentes – ouro, incenso e mirra, e daí a dedução de que, tendo cada um deles entregue um presente, eles então eram apenas três.

Vem dos Reis Magos essa tradição natalina de se dar presentes. É uma evocação àquele momento da descoberta do lugar e da certeza de que o Povo oprimido já podia contar o seu líder predestinado à sua interminável missão redentora neste planeta terra.

Os Reis Magos não eram tão magros assim de pouco peso, não. Eles eram Reis de respeito porque mais que os outros Reis eles sabiam das coisas, tinham informações.

Não erravam, por exemplo, quando previam pouca chuva ou muito sol. Sabiam ler os sinais dos astros. Eram assim, digamos, os magos da astronomia.


Depois foi que surgiram os outros magos – o mago da sanfona, o mago da flauta, o mago da tesoura, e o magão que tocava piano, ou ainda toca, no MPB 4.

Desejo a você o melhor nas alegrias deste Natal e um Ano Novo inteiro com saúde e paz!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

ENTÃO É NATAL!

Queridos leitores,

Aproveito para agradecer as gentilezas com que foram marcadas nossas relações de esperanças num melhor destino para o Maranhão e o nosso Povo neste ano.

Tenham uma alegre noite de Natal com os seus familiares. E renovamos a nossa fé nas vitórias que o nosso decerto colherá nas urnas de 2010, derrotando o atraso politico para vencermos em seguida o atraso social e econômico.

FELIZ NATAL
video

Crime Contra o Maranhão - Zé Reinaldo Tavares


Eu exerci por quase cinco anos o cargo de Governador do Estado. Foram anos difíceis e de muita luta. O estado era muito pobre, muito mais pobre do que hoje. Além disso, quando assumi o governo, o Maranhão estava semi-falido. Começava por não se enquadrar na Lei de Responsabilidade Fiscal, tal a desordem nas finanças públicas. Quase nada se enquadrava e a relação receita/dívida pública estava muito acima dos parâmetros legais.
A receita de ICMS era só um pouco maior do que os encargos mensais da dívida pública (R$ 62 milhões/ R$ 50 milhões). A economia era muito pequena e o PIB estadual em 2002 era R$15,448 bilhões. A renda per capita era de R$ 2.636 e para piorar, a briga política com o grupo Sarney parecia ser pior do se eu tivesse rompido com o próprio Lula. Sim, porque o governo federal cortou as liberações de recursos financeiros para o estado, além de proibir que Ministros viessem aqui. Um cerco financeiro total. Um verdadeiro embargo. O Maranhão estava numa UTI financeira e os Sarney pensaram que eu estava morto por asfixia e ergueria a bandeira branca.

Mesmo assim, jamais recorri a empréstimos financeiros, nacionais ou internacionais. Roseana, que eu sucedi no governo, já havia endividado muito o estado - só em dólares foram mais de US$ 650 milhões - além de empréstimos em reais em quantidade... Lembram-se do estranho empréstimo de R$ 280 milhões para preparar para a venda do BEM (Banco do Estado do Maranhão) que acabou vendido por R$ 78 milhões?

Pois bem, reuni gente muito boa e experiente no Secretariado. Técnicos competentes, respeitados nacionalmente, e enfrentamos e vencemos todos os obstáculos graves que tínhamos pela frente. O resultado é que passamos a arrecadação de ICMS para R$ 230 milhões /mês o que permitiu ao estado boa capacidade de investimento principalmente em água, esgotamento sanitário, habitações, saúde, agricultura e infra-estrutura (destaque para a Ponte da Liberdade em Imperatriz com mais de 1 quilômetro de extensão). Com isso a economia estadual dobrou de tamanho e o PIB alcançou R$ 31,606 bilhões e a renda per capita chegou a R$ 5.165. Nosso PIB obteve o segundo maior crescimento do país e o PIB/per capita experimentou o maior crescimento do país no período 2002/2007. Enquanto a Região Nordeste cresceu 58% e o Brasil, 56%, o Maranhão cresceu 72%!

Quando saí do governo, deixei R$ 380 milhões em caixa e nenhuma dívida com fornecedores. Não bastasse isso, recebemos com satisfação o elogio, feito pela Secretaria do Tesouro Nacional, de que o Maranhão figurava como exemplo no cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Naturalmente, havia uma tremenda tentativa da imprensa da oligarquia para dizer que meu governo tinha sido ruim, mas eu sabia que a verdade iria se impor, como está se impondo, aliás.

E tudo isso, repito, sem empréstimos de qualquer fonte. Eram desnecessários e o futuro do estado seria sacrificado em vão.

Quando Roseana assumiu ilegitimamente o governo do Maranhão em 2009, encontrou o cofre fornido. Contudo, não satisfeita, usou o Judiciário e avançou no dinheiro de convênios já repassados por Jackson Lago para prefeituras, tomando-os de volta. Os cofres estaduais guardavam perto de R$ 1 bilhão.

Para que mais?

Roseana nada fez até agora e está com muito dinheiro. E tampouco sabe o que fazer, pois só sabe pensar nas eleições de 2010. Talvez por isso, em pouco mais oito meses de governo, pede a Assembléia autorização para contrair um segundo empréstimo. Os dois, se somados, chegam a quase R$ 8oo milhões. Mas o pior de tudo é que o faz sem dizer para quê, o que só demonstra que não existe projeto de desenvolvimento do estado e aplicação para o dinheiro.

Isto é um desperdício criminoso, pois a farra terá que ser paga ao BNDES , eternizando a dívida do estado, que já tira R$ 60 milhões /mês e que agora vai aumentar. Não há dúvidas de que este caminho prejudicará investimentos futuros para melhorar a vida difícil de uma população cada vez mais abandonada. Criminosos!

Vejam que semana passada, o IMESC - instituto de estudos socioeconômicos do governo do estado, ligado a Secretaria de Planejamento, publicou “Indicadores de Conjuntura Econômica do Maranhão” semana passada. Na página 15, ao fazer análise dos antecedentes da economia do estado, a publicação traz: “A verdadeira década perdida para o Maranhão foi a década de 90, cujo desenrolar foi condicionado pelo esgotamento do ciclo de investimentos que maturaram no Estado na primeira metade da década de 1980, com a instalação do complexo metalúrgico-logístico Vale-Carajás e Alumar, e pelo aprofundamento da crise fiscal que se abateu sobre o Estado" [...] ”devido a grande dependência do [Maranhão] em relação as transferências de recursos federais, em parte como reflexo da desaceleração da economia maranhense”.

E continua: ”a década de 1990 constituiu para o Estado do Maranhão a verdadeira década perdida do ponto de vista do desempenho econômico, na qual sua taxa de crescimento global encolheu para 1,4% a. a., menos da metade da taxa de expansão da região Nordeste(3,6% a.a.) e inferior a já medíocre taxa de expansão do país(2,1% a.a.). E mais adiante complementa: “o aspecto mais importante para explicar o mau desempenho da economia maranhense na década de 1990 está relacionado com a estagnação dos gastos públicos de uma maneira geral. [...] Vemos que a atividade Administração Pública reduziu sua taxa de de crescimento de 9,7% na anterior para 1,3% a.a. de expansão nos anos 90”. E considera muito prejudicial a privatização do Banco do Estado, contraindo o acesso ao crédito e estabeleceu um pesado esquema de amortização da dívida estadual.

Por fim, a publicação pondera que “a década de 2000 trouxe mudanças substanciais . Ao contrario da década anterior, o Estado do Maranhão passa a crescer a uma taxa superior a da economia brasileira e nordestina. No período 2002 a 2007 os dados do PIB regional calculados pelo IBGE/IMESC apontaram para uma expansão média de valor adicionado de 6,9% a.a. posicionando o crescimento do Estado acima do dinamismo da região Nordeste (4,5% a.a.) e do País(4,0% a.a.).”

O estudo também tece considerações sobre o segmento primário que obteve crescimento de 24,8% e sobre a grande expansão dos gastos públicos, com 19,2% de crescimento, nos quais os gastos com educação tiveram destaque e foram os grandes responsáveis pelo grande crescimento do Estado no período. (Notem que nesse período, entre outras coisas, recriamos a Secretaria de Agricultura que Roseana extinguira e implantamos o ensino médio em todos os municípios. Quando assumi, 159 municípios não o possuíam).

Em resumo, a década de 1990 foi a década perdida para o Estado e entre 2002 e 2007 o Maranhão cresceu mais que todo o país. A diferença é abissal entre os dois períodos. O que teve de diferente neles? A grande diferença é óbvia: na década de 1990, tivemos dois governos no Estado: Edson Lobão e Roseana Sarney, os nomes de maior prestígio da oligarquia e do Grupo Sarney, tirando o próprio.

Entre 2002 e 2006 foi o período do meu governo que pôs o Maranhão nos eixos do desenvolvimento e da recuperação econômica. E 2007 foi o primeiro ano da administração de Jackson Lago.

Isso é incontestável!

Agora, por força de decisão judicial ela volta ao governo de maneira ilegítima. E parte com tudo para destruir o Estado... Esses empréstimos que contraiu e contrairá são a prova evidente da falta de compromisso com o Maranhão e seu povo.

Pode alguém, tão reprovada quando exerceu o cargo de governadora quanto foi Roseana Sarney, querer voltar a governar desta vez por eleição? Nem no Maranhão... E Edison Lobão também não ficou bem na foto...

A pesquisa publicada com estardalhaço domingo é apenas um jogo de números dentro da margem de erro. Não fala de quanto é essa margem, embora com apenas mil entrevistas deva ser grande e não diz onde foi feita e qual a rejeição de cada um. É só mais pirotecnia para impressionar... Vide 2006 com os 76% dela. E perdeu!

Feliz Natal a todos os amigos e amigas, é o meu desejo de coração.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Flávio Dino: "No Maranhão é fantástico o atraso histórico".


"Eu tomei café com o governador Wellington e saio convencido que é possível eu ser o Wellington do Maranhão"(Flávio Dino)

Ele trocou uma sólida carreira na magistratura pela política e virou um ferrenho opositor da família Sarney, no Maranhão. Deputado federal pelo Partido Comunista do Brasil(PCdoB), Flávio Dino desponta agora como virtual candidato a governador do Maranhão. O comunista diz que o Estado precisa de mudanças profundas e urgentes. “É fantástico o atraso histórico”, diz.

Nesta segunda-feira, 21, o parlamentar maranhense (que recentemente ganhou o prêmio de 4° melhor deputado do país - pelo Congresso em Foco) esteve em Teresina, para um encontro com o governador Wellington Dias(PT).
“Nós maranhenses acompanhamos com muito interesse, porque é uma experiência bastante próxima de mudança, de renovação, de afirmação de um projeto de desenvolvimento que é inspirador para o Maranhão”, declarou.


O deputado federal, Flávio Dino, concedeu entrevista exclusiva ao Portal AZ. Confira:

Portal AZ: O senhor teve uma agenda com o governador do Piauí na manhã de hoje. Do que trataram?

Dep. Flávio Dino: Nós tivemos uma conversa pela manhã. Foi uma visita de cortesia ao governador Wellington e ao mesmo tempo uma visita política. Primeiro de apoio à continuidade do projeto que ele lidera, de mudança do Piauí. Nós maranhenses acompanhamos com muito interesse, porque é uma experiência bastante próxima de mudança, de renovação, de afirmação de um projeto de desenvolvimento que é inspirador para o Maranhão. É uma visita que tem um caráter de cortesia, uma visita de final de ano e também uma visita política, de apoio recíproco; de empenhar o compromisso nosso, do PC do B, que aqui é representado pelo deputado Osmar Júnior. No caso, o PC do B do Maranhão é também solidário com o que o governador Wellington faz aqui no Piauí e ao mesmo tempo [quer] retirar experiências positivas para lá do outro lado do rio Parnaíba nós intensificarmos essa ideia de renovação que o Piauí conseguiu trilhar a partir de 2002.


Portal AZ: Processo de renovação que foi interrompido no Maranhão com a cassação do governador Jackson Lago.
Dep. Flávio Dino: Exatamente. Precocemente interrompido e nós precisamos reequacionar isso, reencontrar um caminho e nesse sentido ele mostrou com muito entusiasmos os indicativos, os indicadores de aprovação e nós saímos daqui certos de que é possível fazer isso no Maranhão.

Portal AZ: Desses indicadores que o Piauí possui, qual que o senhor, particularmente, gostaria que o Maranhão já tivesse alcançado?

Dep. Flávio Dino: Nós temos um contencioso instalado recentemente relativo à saúde. Houve uma medida da Prefeitura de Teresina, que é uma decisão administrativa que nós respeitamos, mas ao mesmo tempo ela é evidenciadora das carências do Maranhão. Em todo o Leste e Sul do Maranhão, tirando praticamente a capital São Luís, nós não temos como tratar os pacientes portadores de câncer. Esse dado, só esse, relativamente à qualidade, a eficiência da saúde já é reveladora dessa carência que nós temos.

Portal AZ: Pelo que chega até a gente, a intermediação desse problema junto ao secretário de Saúde do Maranhão é complicada. O senhor, como deputado, tem feito o quê pra resolver isso?

Dep. Flávio Dino: A questão central é essa. Há uma medida da prefeitura de Teresina e nós temos, evidentemente, que respeitar. Porém, ela cria problemas no Maranhão. Eu, como deputado federal do Maranhão, atuo em duas direções: primeiro nessa mediação, que depende essencialmente do Governo do Maranhão. Eu não sou, eu não integro o governo, mas como deputado maranhense eu não tenho não só o direito, mas também o direito de reivindicar de ambos os governos, dos dois lados, que possam chegar a um entendimento. E ao mesmo tempo [tenho trabalhado] para suprir as carências. Estou destinando para o ano quem vem uma emenda parlamentar para o município de Caxias para a construção de uma unidade especializada de tratamento de câncer de alta complexidade. Nós esperamos que Caxias assumindo isso... É um investimento de R$ 1 milhão para que Caxias assuma não só na cidade como na macrorregião, que são mais ou menos 80 municípios. E aí nós evitaríamos problemas de saúde no estado do Piauí.

Portal AZ: Isso evidencia, sobretudo, um atraso histórico.

Dep. Flávio Dino: Fantástico o atraso histórico. É dramático porque nós só temos serviço de atendimento de portadores de câncer em São Luís e Imperatriz apenas. No Maranhão inteirinho - 217 municípios, 6,5 milhões de habitantes, 333 mil km² – dois serviços de câncer. Esse atraso histórico é que nos motiva na luta política.

Portal AZ: Isso é falta de vontade política, desorganização administrativa? O que é, na verdade, que faz esses problemas perdurarem sem solução?

Dep. Flávio Dino: É uma soma de tudo isso. Em primeiro lugar uma gestão governamental historicamente voltada de costas para o povo e ao mesmo tempo a eficiência; eficiência mínima, porque você tem recursos em abundância. Não só recursos federais. Há inclusive possibilidade de parcerias com o Instituto Nacional do Câncer, mas também recursos próprios. O Maranhão terá no ano que vem um orçamento de R$ 9 bilhões, o PIB maranhense é de R$ 36 bilhões e nós estamos falando a construção de uma unidade especializada cujo orçamento entre edificação e equipamentos é de R$ 1 milhão. Então R$ 1 milhão em um orçamento de R$ 9 bilhões estatisticamente não é nada.

Portal AZ: E por que o Jackson Lago não fez quando foi governador? Pelo menos no discurso ela parecia ser diferente.

Dep. Flávio Dino: Esse é um grande ponto de interrogação que nós temos. Eu tenho duas respostas: a primeira é que não deu tempo; a segunda é que houve muito desacerto na condução do governo ali no começo que fizeram com que ele não conseguisse marcar uma diferença administrativa significativa e esse é um exemplo que demonstra isso.

Portal AZ: O senhor foi escolhido, pelo site Congresso em Foco, o quarto melhor deputado do país e pela terceira vez aparece em destaque na votação. A que o senhor atribui isso?

Dep. Flávio Dino: A atuação parlamentar diversificada. Uma atuação lincada, vinculada com os problemas do Maranhão, mas também a preocupação com os grandes temas nacionais. Sempre com a preocupação de trazer uma experiência anterior; fui juiz por 12 anos, o que deu uma experiência sobretudo na área jurídica. Então eu exporto essa experiência da área jurídica, essa experiência profissional para o exercício do mandato, focando em alguns temas que permitam uma inserção no debate nacional. Eu destacaria em 2009 a reforma política, a reforma eleitoral que timidamente avançou. Timidamente, mas avançou. Eu fui relator dela na Câmara. E a atuação na temática da segurança pública; é um tema que eu persigo desde o primeiro ano de mandato.

E mais recentemente, o debate que une o Maranhão ao Piauí que é o debate sobre o pré-sal. Eu tenho atuado muito em conjunto com o Osmar Júnior, o Marcelo Castro e o Júlio César. É uma frente multipartidária no caso do Piauí, eu sempre tenho contato com eles e nós temos atuado juntos; ajudado para que a emenda... as várias emendas que foram apresentadas tenham trânsito.

Portal AZ: O senhor já foi juiz, hoje é deputado e tem um trabalho voltado para a segurança pública. Como o senhor vê o velho problema que parece estar se agravando no país da “polícia prender e a justiça soltar”? O que está sendo feito para diminuirem essas brechas?

Dep. Flávio Dino: A questão central da segurança pública é a questão da justiça. Essa é uma abordagem que eu tenho feito desde o primeiro dia do meu mandato. Bem ou mal, o sistema de fiscalização, de investigação e de controle evoluíram no Brasil. O Ministério Público, as polícias em geral se equiparam, se qualificaram. O grande nó da chamada impunidade ainda é a morosidade da justiça, sobretudo em razão dessa sucessão de recursos. Recorre-se, recorre-se... É a diferença do uso para o abuso, é a diferença do remédio para o veneno.


"O recurso é o remédio correto, mas o abuso é um veneno no sistema, porque ele conduz a ter entre um fato e o seu julgamento definitivo, decorram dez anos. E quando esse resultado vem, ainda que seja um bom resultado, ele já é um mau resultado, porque a sociedade já nem lembra mais daquele fato."



Dep. Flávio Dino: Eu tenho trabalhado muito nas chamadas leis processuais. Nós já aprovamos seis ou sete leis bastante boas voltadas para essa ideia da agilização da justiça. Nós modificamos todo o rito do tribunal do júri. Eu li recentemente uma pesquisa mostrando que em São Paulo a velocidade ia cair para a metade, porque uma série de manobras protelatórias que eram possíveis de serem feitas, hoje não são mais possíveis. Houve uma lei, que eu fui autor do projeto, que permite que o Supremo e o STJ convoquem juízes de outras instâncias, sobretudo nesses casos chamados de foro privilegiado, que andam muito lentamente. Nunca teve nenhum caso de condenação nem no STJ, nem no Supremo de autoridades com prerrogativas de função que foram julgados. Então hoje nós criamos um mecanismo para agilizar esse processo.

E na semana passada eu fui o relator de mais um processo, também nessa área de segurança, que enfrenta um problema que é excepcional, mas que quando acontece é muito importante, que é o “juiz intimidado”. Então nós pegamos um pouquinho de experiência colombiana e italiana. Foi aprovado quarta [dia 16/12] a noite na Câmara. Ele é um projeto que permite, em casos de crime organizado – e vocês viveram esse problema aqui no Piauí -, que o juiz possa dividir a responsabilidade do julgamento com outros juízes, porque as vezes ninguém quer julgar. Nós criamos o sistema de diluição de responsabilidade: o juiz não vai dar mais a sentença sozinho.

Portal AZ: Também se fala muito em corrupção no judiciário brasileiro. Com a sua visão mais próxima do assunto, o que o senhor tem feito para diminuir esse sério problema do país?
Dep. Flávio Dino: Eu fui o primeiro secretário do Conselho Nacional de Justiça; ajudei na sua implementação. Defendemos na época, ainda como juiz, a criação do CNJ e eu fiquei 10 meses lá. Meus últimos 10 meses na justiça foi como secretário-geral do Conselho Nacional de Justiça – fiquei até março de 2006, quando saí pra ser candidato a deputado federal. E acho que essa é a maior contribuição com o judiciário e o próprio Congresso deram no combate à corrupção, que é real. Ela não é um discurso, ela é empírica, é fato. E o CNJ hoje... eu acho que tem resultados ao longo do tempo. Isso a gente tem que pensar historicamente. Há inclusive juízes aqui no Piauí que foram afastados por ação do CNJ, e no Maranhão também. Eu acho que esse é o grande mecanismo, o grande instrumento; você ter uma instância nacional que dê conta de apurar essas denúncias. Acho que é um êxito, está em processo de consolidação, mas nesses quatro anos já demonstrou que esse é o melhor caminho para combater esses casos.

Portal AZ: Com a cassação do Jackson Lago, o senhor acha que vai acontecer com a família Sarney o mesmo que aconteceu com o Hugo Napoleão, aqui no Piauí? Ele conseguiu derrubar o Mão Santa e assumir o governo, mas cavou a própria cova política.

Dep. Flávio Dino: Acho que a experiência do Piauí é bastante inspiradora nesse sentido. Há muita semelhança entre uma situação e outra. O que é importante é que se mantém um traço na política maranhense que é o exaurimento, o desgaste, a chamada “fadiga de material” – a população cansada do mesmo modelo e em busca de novos modelos. O que nós do PC do B hoje buscamos é encarnar esse sentimento de mudança, da busca do modelo; olhar para o futuro, olhar pra diante, juntar em torno de um programa as forças de renovação, reafirmar a bandeira da esperança e, portanto, evitar esse efeito de desarrumação e, com isso, construir um caminho novo para o Maranhão. Outros estados já conseguiram isso: o Ceará fez isso [a alternância do poder] já há bastante tempo; o Piauí é um exemplo nesse sentido. E o Maranhão acabou ficando como o último da fila, o último que não conseguiu ainda atrelar como se fosse um vagão que tá solto da locomotiva.

O Brasil hoje tem uma avenida de prosperidade econômica pela frente, isso é indiscutível, e ao mesmo tempo permanece essa marca da desigualdade regional e o Maranhão acaba sendo o último vagão porque não encontrou ainda o seu caminho político. Tanto é que agora recentemente o chamado Índice Firjan de Desenvolvimento Humano colocou o Maranhão em último lugar; o Maranhão atrás do Piauí, inclusive, considerados os indicadores de saúde, emprego e renda. Não há explicação econômica para isso, evidentemente; o Maranhão tem condições econômicas infraestruturais bastante favoráveis, inclusive em termos comparativos, porque você tem três ferrovias cortando o Estado, tem seis estradas federais de grande importância, um complexo portuário dos mais privilegiados do planeta, tem uma base produtiva de grande importância que se desenvolve em torno do complexo minério-metalúrgico e também do agronegócio, que também é expressivo. Tem possibilidade de expandir a agricultura familiar e a pesca, potencial turístico indiscutível... Nós temos a possibilidade de diversificar a base produtiva do Estado e transformar isso em um desenvolvimento com inclusão social, com justiça social. E isso não é um problema econômico, é um problema político. E essa é a razão pela qual a eleição de 2010 é fundamental, porque ela tá mais ou menos em uma encruzilhada histórica do Maranhão; como o Maranhão deixa de ser esse vagão que perdeu o trem do desenvolvimento do Brasil.

Portal AZ: Há muitas especulações sobre as eleições para o próximo ano. Falam que o senhor é pré-candidato ao governo, mas falam também que o senhor pode se candidatar ao Senado ou ainda ir para o STF, com manobra do próprio presidente Lula, deixando o caminho livre para a reeleição da Roseana. De todas essas especulações, o que é verdade e o que é mentira?

Dep. Flávio Dino: As especulações são tão contraditórias que eles mostram que têm uma coisa em comum: todas são falsas. As especulações são tão diversificadas que elas se negam. A melhor forma de negar todas elas é afirmar uma ideia: eu tomei café com o governador Wellington e saio convencido que é possível eu ser o Wellington do Maranhão; ser aquele que lidera um projeto de renovação, projeto de mudança. Essa é a ideia. Ideia número um, o plano “A”, a única ideia e o único plano.

Portal AZ: É trabalhar a candidatura o governo?

Dep. Flávio Dino: É isso. Estamos trabalhando já, intensamento com isso, construindo uma frente modernizadora, renovadora, desenvolvimentista, ancorada nos movimentos sociais, na tradição de luta popular do povo do Maranhão, de luta social, luta pela reforma agrária no Maranhão, que é uma questão central. Uma frente, portanto, que tenha um programa de mudanças autênticas, ancorada em um projeto nacional e que se expressa partidariamente, evidentemente, pelo meu partido e pela busca do chamado campo democrático popular. Nós não temos uma visão de exclusão de ninguém, mas uma visão de unificação inicial desse chamado campo democrático popular, que tem o PT como uma referência central.

Portal AZ: Já existem alianças em vista? Com quem o senhor já conversou?

Dep. Flávio Dino: Olha, nós temos conversado muito com o PSB, naturalmente. É um parceiro nacional do PC do B, inclusive. Integramos o mesmo bloco parlamentar na Câmara – o bloco é formado por PC do B, PSB, PMN e PRB. Então, em primeiro lugar buscando unificar no Maranhão o campo parlamentar que nós temos, com destaque para esses parceiros. Abrimos uma discussão também com o PPS, que hoje tem um projeto próprio no Estado; o PPS apresentou candidato próprio a governador no Maranhão. E ao mesmo tempo temos a discussão com o PT. A questão central é o apoio do PT, que se vincula a essa disputa interna do PT [do Maranhão], que ainda está em curso. Nós temos que respeitar o ritmo dos outros partidos; nós não temos nenhuma opinião a dar sobre a luta interna no PT. Não seria adequado, já que nós somos de outra agremiação. Assim como ninguém dá opinião nos nossos assuntos, ninguém dá opinião nos assuntos alheios. Temos boas relações com todas as correntes internas do PT do Maranhão; uma excelente relação. Eu próprio fui do PT por sete anos.

Portal AZ: E há possibilidade de aliança entre PC do B e PMDB no Maranhão?

Dep. Flávio Dino: No atual contexto, nenhuma possibilidade.

Portal AZ: É que dizem que em política tudo é possível.

Dep. Flávio Dino: Tudo é possível em tese, né? Abstratamente; você olhando o mundo abstrato. Abstratamente é possível uma aliança PC do B – PMDB no Piauí? É! É possível no Ceará? É! É possível no Rio? É! Só que o mundo não é abstrato. Você fala de realidade política concreta e no quadro que se produz, na cena política maranhense essa aliança não é possível.

Portal AZ: O Lula disse que nos estados onde não for possível unir os aliados, quer ter mais de um palanque para a Dilma. No Maranhão, se o senhor for candidato, a Dilma terá um palanque?

Dep. Flávio Dino: Nós estamos aguardando, até porque nós temos uma relação muito fraterna com o PSB e o PSB mantém a pré-candidatura do Ciro [Gomes]. Essa é a razão pela qual o PC do B ainda não definiu formalmente qual será o seu apoio. Nós temos uma propensão pela continuidade do projeto... de se manter no chamado “campo Lula”. E quem expressa hoje essa opção pela continuidade com mais reforço é a candidatura da Dilma, mas como nós temos também a candidatura do Ciro no mesmo campo político de um partido co-irmão, o PC do B no seu 12º Congresso considerou mais adequado não decidir ainda e aguardar o fluxo, as conversas entre os vários partidos. Nós do PC do B vamos aguardar as definições, embora a propensão mais forte seja apoiar a candidatura da Dilma.

Portal AZ: Como é a sua relação com essa nova direção do PT?

Dep. Flávio Dino: Nós estamos aguardando acabar o processo interno do PT. O Monteiro é um amigo de mais de 20 anos. Eu atuei como advogado do sindicato que ele dirigiu... o Monteiro é uma pessoa com a qual eu tenho um grande relacionamento pessoal e político. Participou da minha campanha de prefeito, lá em São Luís, e tenho certeza que no nível partidário – eu como presidente estadual do PC do B; ele como presidente estadual do PT – vai ser uma dupla que vai fazer muitos gols na política do Maranhão.

Marcelo Tavares tem razão



Encerrada agora há pouco a última sessão ordinária da Assembléia Legislativa. Com apenas oito deputados presentes, o assunto que rendeu foi a polêmica entre os presidentes da Assembléia, Marcelo Tavares (PSB), e da Câmara, Isaias Pereirinha (PSL), sobre a doação do antigo prédio do legislativo estadual, na rua do Egito, ao Tribunal de Justiça.

Marcelo Tavares diz que o Presidente da Câmara de Vereadores de São Luís, Vereador Isaias Pererinha, não demonstrou interesse na doação do prédio para a Câmara e, quando, manifestou, queria todo reformado e mobiliado.

- Ele chegou a dizer que queria, realmente, mas queria todo mobiliado e decorado. Aí não dava pra fazer – disse Tavares.

Em discurso na tribuna, o deputado Alberto Franco (PSDB) atacou duramente o presidente da Câmara. segundo ele, Pereriinha quer o prédio para dar para a prefeitura.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Acabou "Sim Senhora, Não Senhora".



O desembargador Raimundo Freire Cutrim foi eleito, por unanimidade, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão. Cutrim vem pra acabar com o "Sim senhora!".


A posse do cargo ocorreu em solenidade realizada nesta segunda-feira (21) no Auditório Ernani Santos (sede do TRE-MA). Ele comandará a Corte Eleitoral até o final de 2011.

O desembargador José Joaquim Figueiredo, desejou muita sorte ao colega.“Tenho certeza que a sua administração será pautada na transparência e eficiência, qualidades que sempre demonstrou ao desempenhar os cargos de Corregedor de Justiça e Presidente do TJ-MA”, disse.


Em seu discurso, Raimundo Cutrim anunciou suas metas e projetos à frente da Justiça Eleitoral e relacionou-as de forma sucinta ressaltando que sua meta, como presidente desta Corte, será a de respeitar e fazer respeitada a legislação eleitoral.


”Meu projeto maior é o de honrar o cargo que passo a ocupar, sem outro interesse que o de servir ao meu estado e ao meu país. Não permitirei como Presidente do Tribunal Regional Eleitoral, que a vontade soberana do povo, expressa nas urnas, seja desrespeitada”, afirmou.

Cutrim é mais um passo que estamos dando contra o atraso político em nosso Estado. Acabou o "Sim senhora, Não Senhora" via TRE.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Aviso aos meus leitores!

Por conta da passagem de meu aniversário - 21/12 - não irei atualizar este Blog no dia de hoje. Peço desculpas aos meus leitores.

Fábio Barreto em estado grave


O cineasta Fábio Barreto - seu último trabalho foi o Filme:Lula, o filho do Brasil - de 52 anos, está internado com traumatismo craniano no Hospital Copa D'Or, em Copacabana, em estado grave. Ele sofreu um acidente de trânsito na Rua Real Grandeza, em Botafogo, onde seu veículo capotou, por volta das 22h do sábado. Fábio sofreu traumatismo craniano e corre risco de morte.

Pesquisas apontam disputa do governo em dois turnos


Mesmo liderando, Roseana Sarney tem 30% a menos que em outros pleitos

Pesquisas reservadas feitas por três partidos políticos entre setembro e dezembro deste ano e analisadas pelo JP demonstram uma consistente tendência de disputa do governo do estado em dois turnos. As possíveis candidaturas de Roseana Sarney (PMDB), Jackson Lago (PDT), Flávio Dino (PCdoB) e Roberto Rocha (PSDB) são as que aparecem, respectivamente, em primeiro, segundo, terceiro e quarto lugares. Faltando menos de um ano para o pleito e mesmo com muitas indefinições no cenário eleitoral, a tendência de dois turnos é o dado mais consistente.

Nas três pesquisas Roseana Sarney lidera pontuando um pouco acima da casa dos 40%, índice 30% menor que os ostentados por ela nesse mesmo período de 2006, quando acabou perdendo para Jackson Lago no segundo turno. Jackson, derrubado do governo por ação judicial, chega próximo aos 30% na média. Flávio Dino, que pode disputar o governo pela primeira vez, tem, também na média das três pesquisas, 15% das intenções de votos. Já Roberto Rocha, que tem a seu favor o cenário nacional, com a tendência de vitória de José Serra, aparece, hoje, com 5% na média.

Presidente do PCdoB de São Luís e um dos articuladores da pré-candidatura de Flávio Dino, o jornalista Márcio Jerry garante que a análise crítica das pesquisas mostra não apenas a imensa dificuldade de Roseana Sarney em ampliar sua votação do patamar em que está, como também uma “larga avenida para a oposição trafegar e vencer as eleições”. Roseana Sarney tem uma forte rejeição e nem mesmo a força que inegavelmente o Palácio dos Leões possui será capaz de levá-la a uma vitória.

Jerry também destaca que as pesquisas revelam um dado que pode ser fundamental na disputa, que é o desejo de renovação. “Mais de 60% dos eleitores acham necessária uma renovação na política maranhense e se dizem inclinados a votar em candidatos em que eles identifiquem essa renovação”, informa.

Arquiteto da tática de lançar três candidaturas em 2006 para forçar um segundo turno contra Roseana Sarney, o ex-governador José Reinaldo vem defendendo novamente mais de uma candidatura do campo oposicionista à oligarquia, dada a dificuldade conjuntural de juntar toda a oposição num mesmo palanque contra a governadora empossada. Mas se der pra juntar todos já no primeiro turno, crê Zé Reinaldo, a vitória da oposição á oligarquia será certa.

Jp On Line

sábado, 19 de dezembro de 2009

Governo trabalha para definir limites dos territórios maranhenses



A falta da definição dos limites e das divisas dos municípios maranhenses caminha para ser equacionados. Diversas reuniões estão sendo realizadas com prefeitos para buscar uma solução negociada e pacífica. Nessas reuniões é apresentado um estudo para a solução do problema.

Esse estudo é fruto de uma parceria da Secretaria de Estado do Planejamento e Orçamento (Seplan), por meio do Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos (Imesc), e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Para o secretário de Estado do Planejamento, Gastão Vieira, a “conciliação” é a palavra-chave e determinante para a solução definitiva do problema. Na reunião, que contou com a participação de prefeitos e representantes dos municípios da Região do Pericumã (Alcântara, Bequimão, Peri-Mirim, Pinheiro, Pedro do Rosário, Presidente Sarney, Santa Helena, Turiaçu e Turilândia), Gastão Vieira enfatizou que esses encontros representam um marco histórico para que todos possam refletir e, com parcimônia, adotar medidas para a solução desses problemas que se arrasta há anos.

“O Governo do Estado pode, por exemplo, compensar as perdas de receita dos municípios com um repasse de parte dos recursos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias, o ICMS”, reflete Gastão Vieira ao explicar que o cálculo de repasses constitucionais tem por base essencialmente o número de habitantes.

O representante do IBGE Sérgio Motta concordou com a opinião de Vieira: “Estamos em plena execução do Censo 2010. Precisamos ter um retrato mais fiel possível do Maranhão para que tenhamos números mais confiáveis. Para isso precisamos definir com precisão os limites de cada um dos 217 municípios do Maranhão”.

Para o presidente do Imesc, Fernando Barreto, essas reuniões tem tido um resultado altamente satisfatório. Na cidade de Arame, a reunião contou com participação representativa dos municípios da região. Entre as lideranças estiveram presentes os prefeitos Manoel da Costa (Marajá do Senna), João Menezes de Sousa (Arame), Mercial Arruda (Grajaú), Eduardo Barros (representante de Itaipava do Grajaú), o chefe de posto da Fundação Nacional do Índio (Funai), Darlan Lopes e os caciques Douzival Guajajara, Nonatinho Costa Guajajara (Aldeia Urucu) e José Memorhu Guajajara (Aldeia Juruá).


“Nessa reunião praticamente selamos um acordo para a solução do problema. Faltam apenas os procedimentos legais para a sua solução”, comemora o presidente do Imesc, Fernando Barreto.

Fonte: Seplan

Espetáculo da Natureza

video

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Nova mesa diretora do TJ toma posse


Os desembargadores Jamil de Miranda Gedeon Neto, Cleonice Silva Freire e Antonio Pacheco Guerreiro Júnior foram empossados nos cargos de presidente do Tribunal de Justiça do Maranhão, vice-presidente e corregedor-geral de Justiça, respectivamente, em solenidade na manhã desta sexta-feira, 18, na sala das sessões plenárias. A nova mesa diretora irá comandar o Poder Judiciário estadual até dezembro de 2011.

Diante da governadora Roseana Sarney (PMDB) e do presidente da Assembleia, Marcelo Tavares (PSB), Jamil defendeu a cooperação institucional e estratégica, e o respeito à soberania e interdependência entre os poderes.

Esquentou


A desembargadora Nelma Sarney renunciou, no início da tarde de ontem, à presidência do Tribunal Regional Eleitoral. O vice-presidente, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, assumiu automaticamente a presidência do TRE-MA, mas a sessão, logo em seguida, foi abruptamente encerrada em meio a uma inesperada crise. Ocorre que o juiz Sérgio Muniz levantou uma questão de ordem, advertindo que José Joaquim, investido no cargo de presidente da Casa, não poderia mais relatar nenhum processo. E havia, na pauta, diversos processos nos quais José Joaquim figurava como relator. “O presidente do TRE só vota em desempate e quando ocorre a apreciação de questões constitucionais”, argumentou o juiz Sérgio Muniz.

O desembargador José Joaquim respondeu alegando que estava assumindo interinamente a presidência e, que na condição de presidente em exercício, poderia relatar normalmente os seus processos, o que acabou ocorrendo uma acirrada discussão. Sérgio Muniz insistiu no argumento de que não houve por parte de Nelma Sarney um afastamento temporário, e sim a renúncia ao cargo. Irritado, e sem querer acatar as ponderações do juiz Sérgio Muniz, o desembargador José Joaquim achou por bem encerrar a sessão.

O juiz Sérgio Muniz declarou que o TRE-MA deverá realizar uma eleição para escolha de seu novo corregedor, já que o desembargador José Joaquim ascendeu ao cargo de presidente do Tribunal.

“Eu falei ao desembargador que ele não poderia encerrar a sessão nem virar as costas para um membro do Tribunal”, afirmou Sérgio Muniz que, no calor da discussão, dissera ser um juiz igual a José Joaquim. Foi nesse momento que José Joaquim mandou desligar os microfones da mesa diretora do TRE.

Sérgio Muniz fez um desabafo, dizendo que José Joaquim está querendo ser “presidente, vice-presidente e corregedor ao mesmo tempo”. A sessão foi encerrada sem o julgamento de nenhum processo. Entretanto, como o mandato de Nelma Sarney expira nesta sexta-feira (18), haverá uma sessão extraordinária, na próxima segunda-feira, para a posse do desembargador Raimundo Cutrim como novo membro da Corte.

Castelo empossa novos titulares da Semdel e de Assuntos Políticos


Em uma concorrida solenidade, o prefeito de São Luís, João Castelo, empossou, na tarde desta quinta-feira (17), os novos titulares das secretarias municipais de Esporte e Lazer (Semdel), Raimundo Carlos Silva Goiabeira, e Extraordinária de Assuntos Políticos (Semap), Franklin Souza. Os termos de posse foram assinados na sala de reuniões do gabinete do prefeito, no Palácio La Ravardière.

Ao dar posse aos novos secretários, João Castelo afirmou, em seu pronunciamento, que o interesse da administração municipal é, cada vez mais, aprimorar a equipe de governo. “Estamos aprimorando a equipe, mas sempre mantendo os quadros, e tendo o cuidado de escolher as pessoas qualificadas para suas áreas”, disse o prefeito.

João Castelo disse, ainda, que a administração municipal termina o ano com saldo positivo. Segundo ele, a Prefeitura de São Luís investiu em melhorias para a cidade e teve a satisfação de fechar o ano sem que nenhum empreiteiro ou fornecedor tenha alguma dívida pendente com a Prefeitura.

Na ocasião, o prefeito agradeceu também o apoio de todos os vereadores da Câmara de São Luís.

Balanço e expectativa - O primeiro secretário a se pronunciar, Franklin Souza, agradeceu ao prefeito pela confiança adquirida em sua gestão à frente da Semdel e fez um balanço dos projetos desenvolvidos pela Secretaria, valorizando e estruturando o esporte local, destacando que a secretaria adquiriu uma nova visão na administração João Castelo.

“Agora, como secretário de Assuntos Políticos, quero agradecer a Deus pela confiança e ao partido (PRB). Ressalto nosso comprometimento de atuar dentro do princípio da moralidade pública e tenho certeza que a mesma contribuição será dada por mim à frente da pasta de Assuntos Políticos”, disse Franklin Souza.

Já o novo secretário da Semdel, Raimundo Silva Goiabeira, ressaltou a confiança do prefeito em tê-lo em seu quadro de auxiliares e disse que está preparado para arregaçar as mangas e trabalhar pela área. “Vamos fazer na Semdel o que ela merece, que é o fortalecimento da inclusão social através do esporte, aproximando o cidadão da sociedade. Portanto, agradeço ao prefeito João Castelo por ter confiado no meu nome e ao presidente da Câmara, o vereador Isaías Pereirinha”, frisou Goiabeira.

Prestigiaram a solenidade de posse os deputados federais Pinto da Itamaraty (PSDB) e Kleber Verde (PRB), a deputada estadual Gardênia Castelo (PSDB) e os vereadores José Joaquim (PSDB), Ivaldo Rodrigues (PDT), Vieira Lima (PPS), Josué Pinheiro (PSDC), Lourival Mendes (PTdoB), o procurador geral do Município, Francisco Coelho, além de dirigentes esportivos, jornalistas e servidores da Semdel. (Da Secom/ Prefeitura de São Luís)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Marcelo Tavares: “Pereirinha quer apenas tirar carta de seguro”


O presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Tavares (PSB), rebateu agora há pouco, em contato telefônico com este blog, as declarações do vereador Isaias Pereirinha (PSB), presidente da Câmara Municipal.

- Eu esperei um ano para que o vereador se manifestasse sobre o prédio da Assembléia. Ele nunca se manifestou. O Tribunal de Justiça, por outro lado, manifestou desejo pelo prédio desde o dia 19 de fevereiro – revelou o parlamentar.

Tavares rebate também a afirmação de Pereriinha de que nunca fora procuarado para tratar sobre o prédio da Assembléia.

- Não é verdade. Há cerca de dois meses – e tenho testemunhas, inclusive imagens – ele me procurou. O problema é que ele queria o prédio reformado e com toda a mobília. Ou seja, não queria! O Judicicário não! o Judiciário mostrou claramente o interesse – afirmou o parlamentar.

Segundo Macelo Tavares, Pereirinha ficou monitorando a sessão de hoje da Assembléia por intermédio da deputada Gardeninha Castelo (PSDB) para, só se manifestar após a sessão.

- Tanto é que ele só apareceu ao final da sessão, depois que tudo estava resolvido. Ou seja, queria apenas carta de seguro, para dizer que tentou mais não conseguiu. Não aceito esse jogo político e decidi doar o prédio ao Judiciári0 – afirmou Tavares.

Marcelo Tavares explicou que desde fevereiro o prédio da rua do Egito está à disposição, com todos os móveis, utensílios e equipamentos.

- Mas não podíamos manter este prédio se deteriorando deste modo. Tinha que haver um destino. E o destino será o Judiciário, que manfiestou interesse – revelou.

A polêmica do prédio da Assembléia foi resolvida hoje, com a aprovação do projeto de doação ao Tribunal de Justiça.

PSB apóia pré-candidatura de Flávio Dino ao governo, diz presidente da AL


O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Marcelo Tavares (PSB), reafirmou hoje (quinta-feira, 17) a disposição do seu partido de caminhar unido ao PCdoB e ao PT em uma ampla e consolidada coligação com vistas à eleição de Flávio Dino ao governo do Estado em 2010. A afirmação foi feita durante a visita do presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, à Assembleia.

A visita de Renato Rabelo a Marcelo Tavares contou com a presença dos vereadores do PCdoB, Rose Sales, professor Geraldo Castro e Fernando Lima; do deputado Rubens Junior, que integra a fileira do mesmo partido; do presidente do Diretório Municipal do PCdoB, jornalista Márcio Jerry, do vice-presidente do Diretório Estadual, Etelvino de Oliveira, e diversos líderes partidários. Também presentes, os deputados Edivaldo Holanda (PTC) e Penaldon Jorge (PSC).

Durante a conversa, os representantes das duas siglas partidárias reafirmaram a disposição tanto do PSB quanto do PCdoB de manterem firme a coligação que os une na base aliada do governo Lula há muitos anos. No caso específico do Maranhão, Renato Rabelo e Marcelo Tavares defenderam a candidatura de Flávio Dino ao governo do Estado como a única via de renovação política em ascensão no estado.

Renato Rabelo lembrou que o PSB e PCdoB mantêm a mesma linha de pensamento tanto na ideologia quanto nos palanques, com uma relação de respeito múto. “A aliança do nosso partido com o PCdoB não é fortuita ou de momento como tantas outras, ela é construída com base em programas de governo e identidade de pensamentos”, afirmou.

Renato Rabelo lembrou que o PSB tem sido um aliado muito importante, com tradições históricas na política brasileira e que este casamento dos dois partidos será de grande importância para a transformação política do Maranhão.

Marcelo Tavares destacou as inúmeras qualidades de Flávio Dino como a grande liderança política do Maranhão que nasceu nas últimas eleições municipais de São Luís e que deverá se consolidar em 2010, com grandes chances de vitória. “Com a credibilidade de Flávio, são grandes as perspectivas políticas do Maranhão, mas precisamos avançar no diálogo, principalmente com o PT, para que esta coligação se consolide”, disse.

O presidente da Assembleia declarou ser um entusiasta da candidatura de Flávio ao governo do Maranhão, destacando que o deputado federal do PCdoB reúne todas as condições de ser o grande agregador de valores da nova geração política que surge no estado. Também destacou o crescimento do PCdoB em São Luís, representado por três vereadores na Câmara, e no estado, com um deputado federal e um estadual.
(Da Agência Assembleia)

O "Cristo" da vez: Desembargador Raimundo Cutrim



Chega a ser enojante como o Clã Sarney age. Até ontem o Desembargador Raimundo Cutrim era um "Deus" no judiciário, mas após derrotar a desembargadora Nelma Sarney na eleição do TRE/MA o Clã agora achou um funcionário fantasma do TJ(na gestão de Cutrim).

O desespero é grande pois o Desembargador Cutrim não vai atender aos caprichos do Clã, o julgamento ali será técnico.

Eu já tinha avisado, as coisas estão acontecendo, ninguém será mais refém dessa turma.



Fica aqui a letra de Chico Buarque - Apesar de você

" Hoje você é quem manda
Falou, tá falado
Não tem discussão, não.
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão
Viu?


Você que inventou esse Estado
Inventou de inventar
Toda escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão


Apesar de você
amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você onde vai se esconder
Da enorme euforia?


Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar
Quando chegar o momento
Esse meu sofrimento


Vou cobrar com juros. Juro!
Todo esse amor reprimido,
Esse grito contido,
Esse samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora tenha a fineza
de "desinventar"
Você vai pagar, e é dobrado,
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Ainda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
E esse dia há de vir
antes do que você pensa
Apesar de você



Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia
Você vai ter que ver
A manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar
Vendo o céu clarear, de repente,
Impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar,
Na sua frente.
Apesar de você


Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia.
Você vai se dar mal, etc e tal,
La, laiá, la laiá, la laiá??"

Nova mesa diretora do TJ toma posse nesta sexta, às 10h


A nova mesa diretora do Tribunal de Justiça do Maranhão, composta pelos desembargadores Jamil de Miranda Gedeon Neto, Cleonice Silva Freire e Antonio Pacheco Guerreiro Júnior, eleitos presidente, vice-presidente e corregedor-geral de Justiça, respectivamente, toma posse nesta sexta-feira, 18, às 10h, em sessão solene na sala das sessões plenárias do Palácio Clóvis Bevilacqua, sede do TJ.

A cerimônia será precedida por uma missa em ação de graças, às 8h30, na Catedral Metropolitana, celebrada pelo padre Ailton César Alves de Sousa, pároco da Igreja da Sé.

O discurso de abertura da sessão solene caberá ao presidente do TJ, desembargador Benedito de Jesus Guimarães Belo, que assumiu o cargo na última quarta-feira, 16, em razão da renúncia do desembargador Raimundo Freire Cutrim, eleito membro efetivo do TRE-MA, na sessão administrativa realizada no mesmo dia.

A desembargadora Anildes Chaves Cruz saudará os eleitos. Também usarão a palavra a procuradora-geral de Justiça, Maria de Fátima Travassos, e o vice-presidente da OAB-MA, Guilherme Zagallo. Por fim, o desembargador Jamil Gedeon Neto fará o discurso de posse.

Fonte: Tribunal de Justiça do Maranhão

Marcelo Tavares: "Mentiroso é Pereirinha".


Marcelo Tavares reagiu com indignação às declarações deselegantes e até grosseiras do presidente da Câmara dos Vereadores, Isaias Pereirinha:
“Mentiroso é o vereador Pereirinha. Ele nunca solicitou a mim, ao menos oficialmente, a aquisição do antigo prédio da Assembléia. Disse apenas que se fosse para a Câmara de Vereadores funcionar na rua do Egito, queria receber o prédio reformado e mobiliado. Essa é verdade”, assegurou.


Realmente as declarações do vereador presidente da Câmara foram desrespeitosas e descabidas. Não se sabe ao certo o que tem motivado o chefe do IAPE a ser tão descortês com o presidente Marcelo Tavares.

Desistiu


Está com Serra agora a decisão quanto ao PSDB se apresentar ou não com um nome competitivo para as eleições presidenciais no ano que vem.

Aécio anunciou que definitivamente não será candidato a Presidente em 2010. Vai cuidar de Minas.

Candidato a uma das duas vagas ao Senado, Aécio quer eleger seu sucessor ao Governo, no caso o seu atual Vice, Anastasia, o qual, aliás, dizem, é um grande executivo e sem ele Aécio não teria alcançado os êxitos que marcaram sua gestão.

Estranhamente, pipocam agora informações de que a justiça eleitoral de Minas resolveu reabrir o processo em que Aécio é acusado de abuso de poder nas ultimas eleições.

Aécio é acusado de ter aparecido na campanha eleitoral do ano passado apoiando a candidatura vitoriosa de Marcio Lacerda, do PSB, à Prefeitura da Capital e de ter feito discurso anunciando investimentos estaduais num total de 1 bilhão e 500 milhões de reais em Belo Horizonte, quando do lançamento do Programa de Governo de Lacerda.

O Juiz eleitoral do primeiro grau havia arquivado a denuncia por entender que as acusações são genéricas e sem provas suficientes. Mas agora o TRE de Minas reabriu o caso.

Imagina só o TSE abrindo processo para cassar o mandato de Lula porque ele apareceu na TV pedindo votos para centenas de candidatos a Prefeito nas ultimas eleições. Não faria sentido.

Ou decretar a inelegibilidade de Dilma só porque ela, Chefe da Casa Civil e coordenadora do Programa de Aceleração do Crescimento, foi a diversos palanques pedir votos para os candidatos a Prefeito pelos partidos da base aliada.

Olha aqui só este trecho da denúncia:

"Como se vê, o político Aécio Neves da Cunha não se limitou a dar mero apoio pessoal, mas usou e abusou de seu poder como governador para prometer, em favor do candidato Marcio Lacerda, a execução de obras idealizadas pela proposta deste".

Algo muito parecido com o caso do Governador Jackson Lago, do Maranhão, a final cassado sem fundamento legal. Mas por outras razões.

Chocolateria - Edson Vidigal


Quem é que ouvindo falar em Copenhague não se contagia logo, a partir da boca, de uma ansiedade irrefreável por chocolate?

Em Copenhague, Dinamarca, onde está fazendo um frio abaixo de zero grau, o que tem mais por lá a estas horas é gente do Brasil.

Dentre todos os países do mundo interessados na resolução dos problemas ensejadores do aquecimento global, a maior delegação é a do Brasil.

Andar agora por alguma rua de Copenhague é como se sentir no burburinho da Santa Efigênia em São Paulo ou da 46ª Street em Nova Iorque.

Brasileiro em magotes pelas ruas, e ainda mais fora do Brasil, é de encabular quem, mesmo não fazendo parte da mangoça, assiste a tudo a pouca distancia, se envergonha e se cala.

Quando muitos da maior delegação do planeta descobriram que Copenhague não é só uma marca de chocolate, e que na cidade ainda há um plus, exatamente a conferencia em busca de meios para se reduzir o calorzão matogrossense que ameaça desbancar o do Piauí, ainda assim ninguém pensou em voltar.

Coisas interentassímas estão acontecendo para todo mundo contar.

Dilma pediu um omelete e ninguém no restaurante do hotel sabia o que era omelete.

A diplomacia foi mobilizada e o embaixador jeitosamente conseguiu o omelete. Sem quebrar os ovos, certamente.

Minc, o nosso Ministro do Meio Ambiente, falou umas coisas que ninguém entendeu, nem mesmo a chefe da delegação, no caso Dilma, a qual de pronto o contestou mandando que se ele explicasse.

Ela própria leu um discurso afirmando que o meio ambiente não é essas semanas da pátria cheias de benesses, ao contrário é uma desgraça.

Da maior importância para o centro de gravidade do planeta a contestação de Dilma à proposta de Marina, a qual falou argumentando que se o Brasil empresta dinheiro para o FMI bem que poderia botar um 1 milhão de dólares na vaquinha dos países interessados no desaquecimento.

Um bilhão de dólares, minha filha, rebateu Dilma, não dá nem para fazer cosquinha. Depende.

Marina rebateu acusando a colega de grosseria e explicando que a intenção é constranger os países ricos tipo assim, ora se o Brasil que ainda é apenas um emergente pode dar 1 bilhão, por que vocês, ricaços, não podem doar 1 trilhão?

Um bilhão para Dilma nem faz cosquinha.

Outras coisas, igualmente, interessantes estão acontecendo em Copenhague hoje. Inclusive a busca frenética por chocolaterias, já que numa temperatura abaixo de zero ou se sorve umas vodkas ou se bebe pacientemente alguns bules de chocolate quente, bem quente.