terça-feira, 20 de abril de 2010

Rebolation - Zé Reinaldo Tavares



Roseana Sarney está em busca de seu quarto mandato, pois, ilegitimamente ou não, ela exerce o terceiro. Portanto, é uma tarefa incrivelmente difícil para os seus marqueteiros apresentá-la com características novas e tentar criar uma nova personalidade para ela contrariando aquilo que sempre foi e é: uma pessoa arrogante, que não tolera a sinceridade vinda de amigos, servidores ou adversários. Ela recebe as críticas com desdém achando que seu sistema próprio de comunicações é tão forte que consegue impor a todos uma Roseana Sarney que não existe.
Isso vem de berço, não muda, está em seu DNA. Eu escrevi, em artigo anterior, que Roseana Sarney, muito abalada com a certeza de que vai ter de enfrentar Flávio Dino nas eleições, viajou ao Rio de Janeiro para se encontrar com Duda Mendonça, o marqueteiro com fama de mago, único em que ela acredita ter a capacidade de torná-la palatável como candidata ao governo.
Duda exigiu pesquisas qualitativas e detectou imediatamente que, entre outras coisas, ela é vista como uma pessoa arrogante, mandona, agressiva e uma mesquinha perseguidora de desafetos, capaz de usar tudo, tudo mesmo ao seu alcance, na luta para ter o poder.
Assim, o primeiro comercial do PMDB, sob orientação de Duda, foi tentar "criar" uma nova Roseana Sarney, em uma versão do famoso "Lulinha Paz e Amor", de 2002. Mas, Lula era um político, na ocasião, ainda sem ter exercido nenhum mandato, que podia se apresentar na campanha com uma imagem sem causar grandes contradições. Roseana Sarney é muito diferente. Ela já exerceu o governo algumas vezes, atropelou todo mundo, agrediu adversários, criou jornais nanicos e temporários para caluniar adversários e fez de tudo para conseguir um golpe de estado jurídico para tomar o governo, e ainda conseguiu que a decisão violentasse a Constituição brasileira e, mesmo perdedora nas eleições, assumir o governo. (Basta ver o que disse o ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo, em entrevista reproduzida em meu Blog).
Como querer apresentá-la como uma pessoa dócil, de boa paz, lamentando a agressividade (que ela e a sua família trouxeram para a política) da atual política maranhense? Como isso pode ter alguma coerência? É Duda tentando fazer alguma coisa e honrar o seu contrato.
Um experiente amigo mandou-me essas considerações sobre o fato: "Eu acho que ele deu foi mancada. Tentou trazer o mote de Lula Paz e Amor para ela, mas tem uma diferença monstruosa. Em 2002, Lula era mudança realmente, precisava mudar o estilo devido a tanta taca que entrou. Roseana Sarney é o continuísmo do 4º mandato. Depois, ela prega união, mas desde que isso seja para lhe dar um 4º mandato. Quem está no poder ha tanto tempo não tem legitimidade para falar em mudança de práticas políticas, pois já teve sua chance inúmeras vezes e não fez. Qualquer outra união de políticos é ódio, rancor, intriga".
E o Ucho em seu Blog, escreve: "No início desta semana, a governadora, que deixou claro seu desespero em relação à eleição de outubro próximo, surgiu em programa político para denunciar o cabo de guerra que domina a política maranhense. "Nós, que somos eleitos pelo povo, precisamos parar com esse clima acirrado", declarou, com desfaçatez, a filha do presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP). Se há acirramento na política do Maranhão, a culpa maior recai sobre o coronelato comandado pelo ex-presidente Sarney, que tem pressionado o presidente Lula da Silva para que reverta a decisão do PT maranhense. É bom lembrar que o experiente Lula só se aproximou de José Sarney por necessidade política. E isso a história não nos deixar mentir".'
Acho mais fácil do que tentar mudar a personalidade de Roseana Sarney é trocar de candidato e ela ceder o lugar para outro do seu grupo. Com ela é muito difícil até para o Duda. Mas fora da família, para seu grupo, não tem solução.
O senador José Sarney, conversando com políticos, disse que uma intervenção no PT do Maranhão é, sem dúvidas, um enorme desgaste. Mas acha que o povo esquece e dentro de algum tempo ninguém se lembrará mais. O verdadeiro desgaste, segundo ele, é enfrentar Flávio Dino apoiado pelo PT. É crescente o pavor de enfrentar Dino em uma eleição para o governo do estado. Como vale tudo pelo poder, pensa a família Sarney, não fiquei surpreendido quando uma jornalista da Folha me ligou e na conversa falou-me que O Zé Eduardo Dutra, presidente do PT, teria dito a ela que o PSB do Maranhão na sua reunião da semana passada teria atacado violentamente a Dilma. Eu lhe disse que o problema do Dutra é que ele só ouvia o Sarney e que na reunião do PSB ninguém atacou a Dilma; nós tratamos foi da política do estado e do apoio a Flávio, e que isso era apenas para forçar a intervenção no PT do Maranhão. O jogo é muito sujo e usam mentiras como verdade para tentar nos jogar contra Lula e Dilma. É o medo que os obriga a tudo isso! E a falta de compromisso com a candidatura de Dilma, que, na verdade, sofrerá as conseqüências da intervenção.
Foi um grande acontecimento político o evento que marcou a data de um ano do golpe judiciário que tirou Jackson Lago do governo e colocou Roseana Sarney em seu lugar. E serviu para demonstrar que esse foi um ano perdido para o Maranhão, de regressão em seu desenvolvimento, de baixo emprego, do caos na saúde, na educação e na segurança pública; tudo por culpa direta da governadora Roseana Sarney, indolente como sempre.
Foi uma reunião vibrante e de muita emoção que serviu para mostrar que as oposições estão unidas e assim marcharão nas eleições.
Foi bonito ver e participar da homenagem a Jackson Lago, esse homem injustiçado, literalmente, mas que mantém força política considerável para almejar sua volta ao governo, como demonstrou.
Para enfatizar a fraqueza política da governadora, quando esteve em Imperatriz, ela quis visitar 3 km de asfalto que ela deu a Madeira depois de tomar os recursos do convênio em que Jackson deu 15 km à cidade. Madeira foi com ela e entrou na primeira casa. Ele perguntou à moradora se ela estava satisfeita com o asfalto. Ela disse que sim, mas que se ele pedisse votos para Roseana Sarney ela lhe diria que jamais votaria nela. De corpo presente, como se diz, "na lata"!
A revista Veja publicou que o alto preço cobrado por Duda Mendonça afasta candidatos a governador e senador. Mas Roseana Sarney foi a primeira a fechar o contrato, e, como vemos, já produziu sua primeira peça. Ela vai pagar R$ 12 milhões pelos conselhos do marqueteiro. Estão muito abonados e desesperados...
Quero externar minha admiração por Roberto Macieira, que na sua vida pessoal e por onde passou deixou sua marca de homem honesto, de personalidade forte e grande competência. Uma perda enorme para o Maranhão.

Um comentário:

  1. Ainda aposto que a mudança, embora tardia, um dia chegue. Vamos esperar e comprovar se alguma mágica vai acontecer mesmo...

    ResponderExcluir