domingo, 22 de janeiro de 2012

James Bond

O aprendiz de James Bond (o estelionatário Paulo Araújo Ferreira), em uma de suas versões, contou que suas vítimas seriam mortas através de um dispositivo eletrônico com explosivos acoplados aos tanques de combustíveis dos seus carros que seria acionado por um aparelho celular, no melhor estilo “007". 

Essa semana a Superintendência de Investigações Criminais (Seic) concluiu como sendo “fantasiosa” a história contada por Paulo Araújo Ferreira, que teria sido contratado para matar a juíza Lucimary Castelo Branco (6º Juizado Especial Cível); a tabeliã Ana Carolina Brasil Campos Maciel, do Cartório de São Mateus; e o tabelião substituto do Cartório de Maranhãozinho, Ronaldo Torres. O próprio aprendiz de James Bond desmentiu a história na polícia. 

A Seic também concluiu ser mentirosa a versão de Paulo Ferreira dando conta ter sido contrato para “hackear” os sistemas de informática do Tribunal de Justiça, de cartórios, o desembargador Bayma Araújo e o juiz Luiz Gonzaga Almeida.

Não se assustem se a polícia descobrir que por trás de toda essa trama esteja uma Magistrada.

Um comentário:

  1. Bom Dia!

    Você está desatualizado, sabia que o PAN está retornando com ação no Estado do Paraná?
    Quer saber mais ligue (41) 9212-2451 0u (44) 9877-3546.
    Abrs.

    César Tavares

    ResponderExcluir